Quote of the day

sábado, 7 de março de 2009

Superando você mesmo

Eu sempre me considerei uma pessoa medrosa. Acho que até já falei isso aqui alguma vez. Eu sempre adio decisões ou deixo de fazer coisas que eu estou com muita vontade de fazer por medo.

Porém, depois que eu morei em Londres, muita coisa mudou na minha vida e uma delas foi o meu modo de lidar com meus receios. Quando eu saí do Brasil pra viver fora, minha vida era mais ou menos assim: 21 anos, cursando o 4º semestre do curso de Tradução na Universidade Federal de Brasilia, sem emprego, namorando à distância, católica praticante, estudante de violão popular da Escola de Música de Brasília, uma relação boa com meus pais, porém um pouco arredia com meu irmão, insegura em relação a muitas coisas na minha vida. Voltando, eu tinha mudado não meus príncipios em si, mas a minha maneira de encarar a vida e tinha um novo plano. Tinha mudado os meus desejos e as minhas expectativas diante da vida. Como estou hoje?

Vejamos: entrarei no 6º semestre de Tradução. Semestre passado peguei só 3 matérias porque não queria estresse excessivo em minha vida e agora descobri que eu tenho 100 créditos pra fazer até o ano que vem. Uma loucura. Trabalho dando aulas de inglês na Wizard, o último lugar que eu achei que fosse trabalhar. Superei um das minhas maiores inseguranças que era em relação à minha competência quanto ao ensino desta língua. Bom, até agora não recebi reclamações e fui uma das poucas professoras a não ser despedida no fim do ano passado. Estou solteiríssima e curtindo baladas todos os fins de semana. Depois de muito pestanejar, com medo de jogar fora uma bonita história de amor, mas que infelizmente, já havia caído na mesmisse e toda a paixão havia acabado, terminei meu namoro de 1 ano e meio. Não quero NADA na minha vida sem paixão. O que também foi um dos motivos pelo qual me afastei da igreja. Faz mais de 7 anos que trabalho pelo Movimento Escalada, com afinco, com paixão, mas os últimos acontecimentos cortaram toda a gana que eu tinha por levar esse trabalho em frente. Não estudo mais música, mas fiz melhor: entrei numa banda. Tomei coragem de dar minha cara tapa e estou aí, com uma banda em andamento e um teste para uma segunda banda, sábado que vem. Melhorei MUITO minha relação com meu irmão. As brigas foram cortadas a quase zero e temos uma relação de amizade e cumplicidade.

E ontem, realizei mais um desejo que estava aqui guardadinho por puro medo: fazer uma tatuagem. Tatuei uma homenagem à minha cidade amada, Brasília: fiz no pescoço, um calanguinho, que por aqui é símbolo que representa a cidade.

A vida todo dia nos impões barreiras, desafios e propostas. A maioria das vezes a gente foge com medo de falhar. Mas, conselho de alguém que já teve muito medo - e que ainda tem alguns, mas que agora sabe como enfrentá-los em vez de deixá-los dominá-la -: levante a cabeça e vá em frente. Peite! Ria da cara do medo e faça com que ele tenha mais medo de você do que você dele!

6 comentários:

Miguel Sartori disse...

muito bem garotinha!!!
firmeza!!!

masss... (não poderia deixar "incomentados" alguns comentários neh? =P)

cuidado!: "não quero nada na minha vida sem paixão" a paixão passa, sempre! não se engane, sempre passa!!! e largar oq estava sendo construido qnd ela passar seria o mesmo que edificar uma casa sobre a areia...

sei q suas conquistas atuais não são meramente consequencias de uma paixão, mas sei que quando passar a paixão em dar aulas, vc nao poderá simplesmente largá-las... me entende? construa sua vida profissional com AMOR pela profissão, pelos alunos, pela educação, pelo valor de ensinar, mas não simplesmente com paixão...

com relação ao seu abandono à igreja... se era só paixão, faltava muita coisa... tlvz seja bom voltar, procurando amor!

minha paixão pela escalada vai e volta... hj estou mais proximo da exaustao, mas o amor que tenho pela igreja e o movimento (embora tenha passado e enxergue muitos problemas em ambos) me impedem, mais, me prendem a eles...

de qlqr forma, nossa vida é como uma roda gigante, sobe e desce, dá voltas e voltas... mas tente entender o pq q algo q te completava não te completa mais... vc pode chegar a conclusão de que as coisas mudaram e perderam sentido, ou pode chegar a conclusão de q vc mudou (sempre mudamos) mas q em alguns pontos, algo de essencial foi esquecido... =/

a vida não é feita de paixões. Esssas são efemeras, e a vida (embora breve) foi feita pra durar (a eternidade)...

beijãaaaaaaao...

(espero que não considere um sermão nem um sapo... apenas um comentário sincero de amigo... aliás, amizade, por definição, envolve a palavra sinceridade ;o))

DanyZinha disse...

Claro Miguelito...
Amor é mais importante do que paixão, mas acho que os dois juntos são ideais. Quando eu perder a paixão por dar aulas, eu vou buscar modos de renovar essa paixão, de reaver esse fogo que nos move a fazer tantas coisas e viver de verdade!

Em relação a relacionamentos amorosos, eu sei que a paixão acaba, mas quando eu encontrar alguem com o qual eu sinta que o amor é grande o suficiente para superar a falta de paixão, eu terei achado o amor da minha vida! E assim será...

Sinto falta da igreja sim, Miguel, das coisas que a Escalada me trouxe de bom, guardo tudo, mas nao posso voltar com a mágoa que tô no coração, preciso superar isso tudo e ter ctz que to preparada pra encarar essa batalha de novo...! Nao sei se vc eh capaz de me entender, temos pensamentos muito diferentes em relação a varias coisas... E vc nao passou pelas coisas que eu passei, nem na Escalada, nem na vida pessoal, e tem todo o apoio que precisa pra levar isso adiante, o que nao acontece comigo...
Tudo mudou, a Escalada, e principalmente eu... com certeza!

Mas sinceramente, não acredito que possamos viver sem paixão na sua vida...! Se uma acabou, você tem que arranjar outra, ou não estará vivendo, mas simplesmente sobrevivendo...!

É assim que eu penso, é assim que ando vivendo minha vida, e pra ser sincera, estou muito feliz!
=)

Alex Cleberson disse...

Oie Dany ..

A tatoo ficou muito legal e acredito que a escolha foi muito interessante . Penso em fazer uma escrito "Cristo", mas não sei aonde e ainda, diferente de vc, não cultivei coragem suficiente para tal ato . Mas vendo a sua, até me animei .

Saudades imensas de você, a distância existe, mas o carinho, afeto e amizade continuam sendo cultivados !

Abraço
=:]~~

www.alexcleberson.blog.com.br

DanyZinha disse...

Alex, eu tbm tenho vontade de escrever o nome do Senhor!
Ainda vou fazer JESUS nas minhas costas, vc vai ver! hehehe
bjos!

Sr. Sete disse...

Dany...

Dany...

Cuidado com o Dany-se...

huahauahuaha

Enfim, meu eu está entre o Miguel e você. TEnho um amigo que diz que sou medroso e por isso não me largo do VÍCIO da tradição, igreja e família. Mas juro, mesminho, que não acredito ser medo.

Me considerava "imagoável", até ser magoado. Depois vi que isso dá e passa, e PARA MIM (SOMENTE PARA MIM, POIS ESTOU FALANDO DE MIM PRA VOCÊ) é sempre bom ser magoado.

Tenho medo de tudo... Minha tatuagem foi tranferida para os trinta anos, mas minha moto ainda sai este ano... Viu!!!

kkkkkkkkk

ODEIO COMENTÁRIO PALPITE, MAS...

Dany, sou professor e sou apaixonado. Quebrei uma cadeira na escola brincando de sociedade dos poetas mortos pra 7ª série. Mas tenho certeza que isso vai passar. Não o gosto, mas o sabor, entende?

Assim me faz a igreja, (o foda do blog é que vem todos os evangelizadores matando). Chute o que quiser, mas chute com classe pra não se fazer (NA SUA PRÓPRIA CABEÇA) uma afastada, incompreendida e marginalizada. (gostou desse final..?)

Sei que muita coisa é farisaísmo, mas tem coisas muito mais importântes que tem lá, né?

Enfim, pra concluir, faz o que quiser, só não desiste de me chamar pro forró.

hauhauahuahau

* Bee * disse...

Muitobom ver seu ânimo! Te admiro por não desistir fácil, guria. Beijos.