Quote of the day

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Adeus ano velho... feliz ano novo...


... Que tudo se realize no ano que vai nascer! mt dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender!

Começando com a clássica música, para o fechamento de um ano nada clássico para mim!
Afinal, quando eu estava lá na praia de Balneário Camboriú na virada de 2007 para 2008, eu jamais poderia imaginar o que seria esse ano! Tá, duas coisas estranhas eu já tinha certeza. Eu namorava à distância - o que já era esquisito o bastante - e estava de malas prontas para ir morar em Londres. Mas por mais que você fique imaginando o que vai acontecer durante o ano, o cara lá de cima sempre te surpreende! A primeira metade do ano, eu estava lá na Europa, trabalhando no McDonalds, quase 8h por dia em pé, engordando 7kgs, cheirando a batata frita 5 dias na semana, aguentando sapo de gerente ou cliente mau-humorado. Juntando dinheiro para ir viajar pela Europa, conhecendo pessoas diferentes - MESMO! - e incríveis, falando 24h uma outra língua, morrendo de saudades do calor humano inerente à raça brasileira, do samba, da comidinha mineira da mamãe, das zoações dos meus amigos, da Escalada e até mesmo do stress da UnB. Para mim, o tempo passava se arrastando. Às vezes, quando eu tava meio depressiva, tinha a impressão de que o tempo parava, só pra me sacanear. E lá, eu percebi que glamour nenhum da Europa paga o que eu tenho aqui no Brasil. Como diria o poeta "isso pra mim é viver!"

Depois que voltei da aventura fantástica, nada poderia ser igual! Minha vida, meus conceitos, meus principios, o valor que eu dava à vida, tudo era diferente! Portanto tudo deveria mudar...! O namoro acabou, o carinho ficou, mas a vida segue em frente... Decidi que não queria um semestre estressante na UnB e peguei só 3 matérias para cursar. E lá se foi ele, tranquilo em sua forma geral...! O que me deu energia para colocar outros projetos pendurados em prática! Dedicar mais tempo aos meus amigos! Ahhhh como eu me diverti! Desde que voltei de Londres, eu acho que fiquei em casa apenas 2 finais de semana. Não há tempo a perder! E fiquei mais tempo com minha família. E arranjei um emprego na Wizard, e comecei a me apaixonar pela profissão de ensinar, embora muitas vezes me sentisse encurralada por perguntas para as quais não sabia a resposta. Me envolvi em um projeto musical, que apesar de não ter me dado retorno profissional em relação aos meus planos musicais, não só abriu meus horizontes em relação à música, mas colocou no meu caminho pessoas incríveis, algumas delas me dando a certeza de fazer parte do meu ano de 2009 de uma forma bastante especial. E passou voando. O segundo semestre passou zunindo! Eu mal vi! Nem dá pra acreditar que vai fazer um ano que eu fui pra Londres! E só agora eu consigo perceber como também o tempo em que eu estava morando fora voou! Quando eu estava lá, a saudade não me deixava perceeber o quanto o tempo passava depressa.. E hoje eu percebo que tive vários encontros, desencontros, vitórias, fracassos e tropeços dos quais consegui me recuperar. Definitivamente, esse ano vivi de tudo! E por isso, considero 2008 um dos anos mais intensos da minha vida! Com uma pitada de tudo o que alguém pode precisar para olhar pra trás e dizer: VALEU A PENA!

Feliz 2009 a todos e que ele venha recheado de desafios e conquistas para todos nós, assim como foi 2008! Eu não tenho planos, apenas esperança no coração, alegria e muita vontade de fazer mais um ano valer a pena!

TIM-TIM, e que venha 2009!! \o/

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

O Natal e seus protocolos


Hoje estou aqui para analisar, protestar e me desculpar.
Analisemos o Natal. Todos nós sabemos que esse feriado é pra se comemorar o nascimento de Jesus Cristo, embora alguns aleguem que essa não foi a data em que Ele nasceu - o que na verdade, pra mim, não faz muito diferença!

Daí surge um monte de gente pseudo-revolucionária dizendo que, in fact, tudo isso é meramente comercial. É a época em que as lojas lucram mais. A taxa de empregos temporários cresce, os shoppings ficam lotados, as ruas intransitáveis, as casas cheias de luzinhas e pinheiros... Aí vai meu primeiro protesto: Por que enfeitamos tudo de acordo com a cultura nórdica?! Por acaso aqui neva?! "Ah, no Sul às vezes neva..." Ok, ok. Por acaso neva no verão?! Não né?! Por que as pessoas colocam algodão em tudo pra fingir que é neve? Por que usamos pinheiros de Natal se aqui no Brasil mal se vê os benditos?! Pois é... primeiro vestígio da tão dita "falsidade" do feriado.

Mas voltando à análise, não se pode negar que o Natal é comercial. Não é porque sou católica e sei do verdadeiro significado dessa data, que fecharei os olhos para essa realidade. Não sou hipócrita!

Mas embora este seja, ao lado de tantos outros, um feriado mega comercial, ele tem algo ímpar. Algo que não se vê nos outros feriados. As pessoas ficam diferentes! "Não sei" o que é, mas todo mundo fica solidário. Aliás, todo mundo não, mas muita gente. Fala-se em ajudar, em perdoar, em doar, em amar, em refletir...

Daí vem de novo o pseudo-revolucionário e fala que isso é um absurdo, que esse povo é tudo um bando de falso, que só fica bonzinho no Natal. Então, aqui vai meu segundo protesto: desde quando "ficar bonzinho" é defeito? Desde quando, querer ser uma pessoa melhor, independente de época do ano, é ruim?

Eu tenho uma raiva desse povo que quer dar lição de moral... Pior é que esses aí, são os que não levantam um dedoooo pra se tornar alguém melhor! Antes os que são solidários no Natal (afinal, eles nunca perdem a esperança de melhorar!) , dos que os que não são solidários nunca... Esses sim, são os verdadeiros hipócritas...!

E bom, o meu pedido de desculpas é muito ligado a isso tbm. Eu esse ano não fiz caridade no fim do ano. Assim, dei presentes, orei por pessoas, me compadeci da dor dos irmãos, mas o que me deixa indignada, é que não fiz nada por eles. Eu fiz alguma coisa ou outra durante o ano - ainda assim muito pouco! - mas é que essa época aparecem todas as oportunidades para sermos úteis! Só não ajuda, quem não quer. E estou em falta com meus irmãos! Ainda dá tempo de tentar salvar. Fazer o sorriso brotar no rosto de alguém, não tem preço. E nunca é tarde para isso!

FELIZ NATAL A TODOS!

sábado, 20 de dezembro de 2008

Simple Things



É engraçado pensar como meu ano de 2008 foi aparentemente tão glamorouso. Fiz coisas que jamais imaginei fazer ou que achava que só iam acontecer num futuro remoto, com muita sorte!
Morei 7 meses numa das cidades mais importantes e chiques do mundo. Londres não tem ruas, tem passarelas. Não tem ônibus, tem carros de passeio. Não tem momumentos, tem obras de arte. Sem contar com as viagens incríveis que eu pude fazer! Fui a Paris, cidade mais desejada por todos, La Rochelle, um cantinho charmoso da França. Visitei Berlim, Roma, Veneza e ainda algumas cidades importantes da Inglaterra - Brighton e Oxford.

Passei momentos dignos de princesa, mas só quem conhece bem essa história - ou acompanhou um pouco dela através do blog - sabe as coisas que tive que abrir mão para conquistar esse pedacinho de sonho e também o que eu passei para me manter firme no propósito de chegar até o fim dessa aventura. Sabem que de glamour minha vida na Europa não tinha nem um pingo, e que eu atravessei esse período muitas vezes aos trancos e barrancos, mas sempre com a minha dignidade acima de tudo.

Apesar de todos os passos encantados que dei, nada me fez valorizar mais a vida esse ano do que as simples coisas que vivi.

Em relação ao primeiro semestre - Começando pela força que meus amigos e familiares me deram. Do apoio incondicional, ao carinho, à ajuda, às lágrimas e as expressões de saudades. As novas amizades que fiz em Londres, o quanto aprendi de outras culturas, o respeito que adquiri em relação às outras nações, crenças, personalidades e o carinho impressionante que me foi direcionado a cada vez que eu dizia "Yes, I am Brazilian ou I am from Brazil". O dia em que vi a neve pela primeira vez. Tentar falar outras línguas nunca imaginadas. A oportunidade de apresentar aos outros às melhores características do meu povo e cultura. Tirar milhões de fotos legais!

Quando voltei, tive momentos incríveis! Parece que eu estava recuperando um "tempo perdido". Fiz várias coisas que desejava, como arranjar um emprego dando aulas de inglês, ter um semestre relaxado na UnB, entrar na academia, passar mais tempo com minha família e dedicar bastante tempo aos meus amigos, sair muuuuito pra dançar, olhar pela janela do carro e observar cada quadradinho projetado pelo Niemeyer e pensar "poutzzz cara, como minha cidade é linda...!

Como ontem, eu tive o dia mais simples, mas tão agradável... Eu voltei andando da academia e vim pensando em como a UnB estava vazia... Vim por dentro, andando pelos corredores vazios... sem esbarrar em ninguém - quem estuda lá, sabe que isso é impossível! Eu estava com meu mp3 no ouvido, mas ainda assim conseguia ouvir o barulhos dos meus passos e o cantar dos pássaros. E cantei. Em voz alta! A música fazia tanto sentido... "If the rain must fall, if I lose it all, if the world comes down out and takes my soul, if the sky turns black and there's no way back it wouldn't matter much to me..." Fazia tanto sentido que eu queria gritar pro mundo que era aquilo que eu sentia... Admirei o pôr-do-sol enquanto assistia o dia escurecer, e ao mesmo tempo meus olhos choraram, não sei de alívio, emoção ou pura necessidade... e logo depois eu ri... ri alto...! E nem vi minha casa chegar...!

Simply, the simplest!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Um motivo pra dormir

Estou aqui, com os olhos pesados de sonolência, consciente de que amanhã tenho que dar aula Às 7h30min da matina, mas ainda acordada. Procurando uma razão pra dormir. Parece que essa atividade tão atrativa para a grande maioria das pessoas da minha faixa etária, não anda fazendo a minha cabeça.

Não é que eu não goste de dormir. Eu gosto, é uma delícia. Mas acho que bem aqui dentro, no meu subconsciente, eu acho dormir uma tremenda perda de tempo. Fico sempre caçando alguma coisa pra substituir meus, aparentemente não tão preciosos, minutos de sono.

Pode ser qualquer coisa. Um vídeo inútil no youtube, a esperança de um scrap, costumizar a aparência daquela bonequinha ridícula do Orkut, fuçar nos perfis alheios, tentar descobrir informações novas sobre alguém interessante, ler coisas antigas que escrevi no pc, ver fotos velhas e novas, forçar com alguma alma online no msn, devanear sobre a vida e seus protocolos...

Eu não sei porque disso, mas eu acho que provavelmente o motivo tem algo a ver com a minha imensa energia acumulada. Sou uma pessoa agitada, apesar de meio preguiçosa. Sempre fico achando que tem algo de mais interessante do que fechar os olhos e por algumas horas ficar inconsciente...

Pensando bem nisso, é meio assustador. Você fica fora do mundo durante um tempo. É como se sua vida estivesse pausada.

Ih... acho que é melhor eu ir dormir mesmo, já fui longe demais por hoje...

sábado, 6 de dezembro de 2008

Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come


I was wondering...

Já ouviram aquele negócio de "quanto mais eu rezo, mais assombração me aparece"? Pois é...

Quando você acha que sua vida vai tomar um certo rumo, acontece alguma coisa inesperada, não-programada - aliás, até evitada ao extremo - e muda todo o destino previsto por você. Prova de que nada adianta você querer tentar tomar o controle da sua vida, não vai dar certo.

É como administrar o horário. Ontem, por exemplo. Eu estava me preparando pra dar aula de 7:30 às 13h e as 14:15 ir ao cinema. Eu tava achando muito corrido porque ainda não tinha feito chapinha no cabelo e as minhas unhas estavam amarelas, parecendo de defunto. Eu precisava arrumar. As coisas que eu separei pra ir pra casa da Mayara depois do cinema ainda não estavam devidamente na sacola. Ou seja, eu tinha uma hora pra fazer isso tudo. Tá na cara que não ia dar! Depois arranjei alguém pra me subtituir na aula das 12h. Daí saí do trab às 11h e passei no shopping, com calma - mentira! - tentando comprar um vestido novo. Quando o meu celular toca com minha cia. do cinema antecipando para 13:30h. Saí correndo, me arrumei, nem almocei, e a pessoa me liga remarcando pras 14h. Enfim, tudo pode acontecer, resumindo.

Não adianta ficar aí se esquivando dos imprevistos e das surpresas - agradáveis ou não - que a vida lhe reserva. Pior é que tem coisas que acontecem tão subitamente que você não sabe como lidar com elas! Encara? Foge? Tenta administrar? Faz corpo mole? Ignora? Finge que não está acontecendo?

Por isso que acho que a vida deveria ter um manual. Porque vivem aparecendo botõezinhos a serem pressionados que a gente nem sabe pra que serve! Já viram aquele episódio de FRIENDS onde a Mônica tenta descobrir para que serve um maldito dum interruptor, que aparentemente é inútil? Ela fez de tudo para descobrir a finalidade do treco e no fim das contas todo o esforço foi em vão! Por que? Ela não tinha o manual!

E se todo o nosso esforço for em vão?! Se o interruptor não servir para nada e a gente ficar viajando, imaginando que ele terá alguma serventia?! O que fazer?!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Aniversário

Tá, tá, amanha é meu aniversário. Hummm... Tá!

O que estou sentindo?! Sei lá... Quando chega meu aniversário eu geralmente falo pra todo mundo, porque gosto de saber que as pessoas vão lembrar de mim! Ao contrário de muitos, eu não acho ruim a pessoa me dar parabéns só porque o Orkut avisou! Me dê parabéns! Afinal, sobreviver a esse mundo cão é uma batalha por dia, e por isso eu axo que todo cidadão merece receber parabéns no dia do seu aniversário!

Além do mais, as pessoas fazem orações por você. Te desejam o bem e tudo aquilo que você quer. Você ganha abraços, beijos e eventualmente um presentinho. Ou presentão. Seu celular, que nunca toca - a não ser quando você não está perto dele e pra variar, nao tem crédito pra retornar -, mais parece um orelhão (se bem que o orkut tem desafiado essa máxima!). Seus amigos se reúnem para celebrar vocÊ!!! Você ganha zilhões de scraps fofos, alguns eventuais depoimentos e se for na missa, comunga em duas espécies, e lá em cima, no altar, diretamente da mão do padre. Ninguém te contraria. Você é o centro das atenções. Come crepe de graça no Crepe Au Chocolat ou no Cest si bon. Recebe surpresas. Aquela pessoa que você não falava há tempos aparece. Ou aquela que você nem fala mais, lembra de você.

É, acho que esse negócio de aniversário é até bom!

22 ANOS... éeee... o tempo passa... agorinha eu era uma menininha de 11 anos menstruando pela primeira vez...! Eu nem sabia o que seria minha vida... e agora ela está aí... linda, dando frutos, cheia de felicidade, conquistas pessoais...! Obrigada meu DEUS, por ter me proporcionado uma vida divina!