Quote of the day

sábado, 20 de dezembro de 2008

Simple Things



É engraçado pensar como meu ano de 2008 foi aparentemente tão glamorouso. Fiz coisas que jamais imaginei fazer ou que achava que só iam acontecer num futuro remoto, com muita sorte!
Morei 7 meses numa das cidades mais importantes e chiques do mundo. Londres não tem ruas, tem passarelas. Não tem ônibus, tem carros de passeio. Não tem momumentos, tem obras de arte. Sem contar com as viagens incríveis que eu pude fazer! Fui a Paris, cidade mais desejada por todos, La Rochelle, um cantinho charmoso da França. Visitei Berlim, Roma, Veneza e ainda algumas cidades importantes da Inglaterra - Brighton e Oxford.

Passei momentos dignos de princesa, mas só quem conhece bem essa história - ou acompanhou um pouco dela através do blog - sabe as coisas que tive que abrir mão para conquistar esse pedacinho de sonho e também o que eu passei para me manter firme no propósito de chegar até o fim dessa aventura. Sabem que de glamour minha vida na Europa não tinha nem um pingo, e que eu atravessei esse período muitas vezes aos trancos e barrancos, mas sempre com a minha dignidade acima de tudo.

Apesar de todos os passos encantados que dei, nada me fez valorizar mais a vida esse ano do que as simples coisas que vivi.

Em relação ao primeiro semestre - Começando pela força que meus amigos e familiares me deram. Do apoio incondicional, ao carinho, à ajuda, às lágrimas e as expressões de saudades. As novas amizades que fiz em Londres, o quanto aprendi de outras culturas, o respeito que adquiri em relação às outras nações, crenças, personalidades e o carinho impressionante que me foi direcionado a cada vez que eu dizia "Yes, I am Brazilian ou I am from Brazil". O dia em que vi a neve pela primeira vez. Tentar falar outras línguas nunca imaginadas. A oportunidade de apresentar aos outros às melhores características do meu povo e cultura. Tirar milhões de fotos legais!

Quando voltei, tive momentos incríveis! Parece que eu estava recuperando um "tempo perdido". Fiz várias coisas que desejava, como arranjar um emprego dando aulas de inglês, ter um semestre relaxado na UnB, entrar na academia, passar mais tempo com minha família e dedicar bastante tempo aos meus amigos, sair muuuuito pra dançar, olhar pela janela do carro e observar cada quadradinho projetado pelo Niemeyer e pensar "poutzzz cara, como minha cidade é linda...!

Como ontem, eu tive o dia mais simples, mas tão agradável... Eu voltei andando da academia e vim pensando em como a UnB estava vazia... Vim por dentro, andando pelos corredores vazios... sem esbarrar em ninguém - quem estuda lá, sabe que isso é impossível! Eu estava com meu mp3 no ouvido, mas ainda assim conseguia ouvir o barulhos dos meus passos e o cantar dos pássaros. E cantei. Em voz alta! A música fazia tanto sentido... "If the rain must fall, if I lose it all, if the world comes down out and takes my soul, if the sky turns black and there's no way back it wouldn't matter much to me..." Fazia tanto sentido que eu queria gritar pro mundo que era aquilo que eu sentia... Admirei o pôr-do-sol enquanto assistia o dia escurecer, e ao mesmo tempo meus olhos choraram, não sei de alívio, emoção ou pura necessidade... e logo depois eu ri... ri alto...! E nem vi minha casa chegar...!

Simply, the simplest!

2 comentários:

Daniel Farinha disse...

E o show que vc foi em Londres?? Não merece nenhuma nota??? rsrs

Bjos

Eu disse...

Yeah yeah!!!

viva as coisas simples da vida!!! aquelas que acontecem todo dia o dia todo! se formos esperar os grandes acontecimentos teríamos poucas coisas pra contar... =D

Beijo beijo... adorei... e é nóis!!!