Quote of the day

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Serviço de qualidade

Estou aqui para fazer uma reclamação como consumidora.

Eu entrei no mercado pra comprar um pacote de biscoito a fim de suprir as necessidades chocoláticas de uma mulher de TPM. Fiquei na fila 5 minutos, dois caixas livres e nenhum dos imbecis - desculpe, mas to revoltada - gritou "Próximo!". Fiquei indignada, paguei o biscoito depois que um dele percebeu que havia uma cliente que nem um 2 de paus na fila e saí. Algo me chamou atenção e eu olhei para o biscoito: tinha pegado de morango, sem querer. Oras, mulheres de TPM não querem morango!! Aí, eu voltei e perguntei como fazer pra trocar o sabor e eles me mandaram para o setor de "Atendimento ao cliente".

Ao chegar lá, encontrei uma mocinha com o cabelo todo enfeitadinho - gliter e tudo - de trelelê com um empacotador. Fiquei olhando e esperando o momento em que ela olharia, para mim, sorriria e diria: "olá, posso ajudar?". Porém, este momento não aconteceu. Eu tive que gritar um "Oi!!" e ela olhou pra mim como se não tivesse nenhuma obrigação comigo e me perguntou o que eu queria. Não com a boca, mas com um movimento de cabeça para frente, como quem diz: "que é???". Daí eu disse que queria trocar o biscoito, ela disse pra eu ir lá pegar o que eu queria e voltar. Quando eu voltei, de novo estava de sorrisinhos com o empacotador, tive que dar um berrinho de novo pra avisar que eu estava de volta. Ela simplesmente sacode a mão pra frente e diz: "pode ir!".

Não é revoltante?? Tipo, eles estão sendo PAGOS para fornecer um serviço! Quando eu trabalhava no McDonalds lá em Londres, eu podia estar morrendo, mas eu sempre puxava um espontâneo "How can I help you?" acompanhado de um belo sorriso no rosto. Mesmo quando meu pé estava cheio de bolhas por ficar 7 horas em pé espremida num corredor de 3 metros quadrados! Esse povo trabalha num supermercado gigante, com ar condicionado, podem vestir a calça que quiser, arrumar o cabelo como quiser, usar o sapato que quiser e ainda desrespeitam o cliente dessa forma??!!

Oraaas, é por isso que esse tipo de gente provavelmente vai ficar nesse empreguinho meia-boca pelo resto da vida. Não tem iniciativa, carisma, simpatia e não colocam a satisfação do cliente em primeiro lugar! Tenho pena de gente assim...!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Irmãos

Amanhã é aniversário do meu irmão! Hoje eu comprei um presente pra ele e fiquei pensando quando foi que eu comecei a fazer isso!

Sim, por que antes meu irmão era mais parecido com um adversário. "Dormindo com o inimigo" seria o nome do nosso filme. Eu lembro até hoje de uma das nossas brigas mais marcantes: eu tinha 11 anos, minha primeira TPM. Ela tinha 10, auge de sua "capetagem". Eu estava vagarosamente passando manteiga num biscoito cream cracker, quando ele passou voando e roubou o biscoito da minha mão. Eis minha reação: peguei a primeira coisa que eu vi na frente - uma faca - e taquei nele. Claro que Deus é bom demais e cuidou para que a faca fosse de mesa e que o pentelho tivesse reflexo suficientemente rápido para abaixar-se. Seu único dano foi ficar com o cabelo sujo de manteiga. Eis o que eu - desde pequena Drama Queen - fiz: peguei a mochila, enchi de roupa e saí de casa. Tá certo que eu não passei das escadas, mas eu disse pra minha mãe que se a gente não parasse de dividir o quarto, eu iria sair de casa (uhum, tá!).

Ele nunca foi do tipo protetor. Muito pelo contrário, namorar amigos dele nunca foi problema, tanto que já o fiz com dois. E ele nunca esteve nem aí! Esses dias ele soltou a frase: "Vai sair com esse decote aí???" E depois de 22 anos sem receber nenhum cuidado de irmão, eu achei bonitinho!

Repeti várias vezes durante a vida a frase: "você é um covarde!! Por que não vai bater em homem??". É, ele me batia. Sem dó! Ok, sou mais velha, mas sou menina, pô! Em troca, eu vivia me defendendo com as unhas e quando os amigos dele insinuavam que eram arranhadas de alguma "mina", ele respondia indignado: "Que nada, po, isso aqui foi minha irmã!!!".

E foi assim a vida inteira. Brigando por every little thing. Até que resolvi ir pra Inglaterra e obrigá-lo a tirar umas férias de 7 meses de mim. Foi aí que vieram os depoimentos no orkut, as declarações de amor e as expectativas por um verdadeiro relacionamento fraternal.

E devo dizer que sentir o abraço desse menino gigante foi uma das melhores coisas que eu senti quando cheguei da minha pequena-grande aventura européia. Sentir que poderíamos finalmente fazer valer a palavra IRMÃOS. Hoje somos mais que isso. Somos amigos, cúmplices, conselheiros, família - que também briga de vez em quando - mas agora conseguimos entender que o tempo todo só era uma coisa: não conseguiríamos viver um sem o outro!

Parabéns para meu caçulinha gigante!

domingo, 12 de abril de 2009

Quando seus pés não acalçam o chão

Todo mundo fica o tempo todo dizendo a ela que deveria controlar mais a ansiedade. Que é desesperada, paranóica, neurótica e que vive mergulhando no escuro.

Ela ouve, dá razão, sofre com isso, mas nada consegue para-la. Se ela sente, transborda. Se tem raiva, grita. Se sofre, chora. Se está feliz, brilha. Se acha graça, gargalha.

Não é como um conselho do tipo: "pare de fumar" ou "não coma muita gordura". É um conselho que diz: "ei que tal mudar um pouco sua essência, para sofrer menos?". Ah, ela sabe que já se deu mal. Mas também sabe que nada disso conseguiu fazer com que seu coração parasse de bater no ritmo em que bate.

E quando acontece algo tão desesperador que tira seus pés do chão? Quando num instante ela brilhava de emoção e no outro questionava o que diabos mudou do dia pra noite? Seus pés fora do chão... E quando isso vale tanto pra lado positivo, quanto por negativo? O que fazer quando você simplesmente não tem idéia do próximo capítulo da sua vida e o que esperar dele? Quando parece que tem gente brincando de esconde-esconde por achar isso divertido? What is she supposed to do? How is she supposed to feel?

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Toda ação tem uma reação

Hoje eu tava pensando em uma pessoa e de repente eu parei. Me censurei. Não, não tem nada de errado com essa pessoa. Aliás, eu acho que não. A gente nunca acha que tem alguma coisa errada, mas o fato é que sempre tem. E é tão ruim ficar com um pé atrás em gostar de alguém de novo! Minha última tombada-com-a-cara-na-parede foi tão feia que até agora tô tonta por conta da pedalada que o sujeito me aplicou!

Como toda ação tem sua reação, agora os próximos candidatos a dono do meu coração (poderia ser mais brega???) - principalmente os mais recentes - vão ter que pegar a sobra. A reação. Quando alguém te sacaneia você pode agir de duas formas: ou você fica doidinho pra sacanear o próximo - como se o coitado tivesse culpa - ou você se fecha e tem medo de voltar a sentir todos aqueles sentimentos de novo, porque não quer ficar cega de novo e não enxergar se a pessoa for mais um FDP no seu caminho.

No meu caso é a segunda opção, porque não tenho vocação para vingancinhas estúpidas. Odeio como as mulheres tem a capacidade de se envolver, de se encantar, de se deixar levar tão facilmente! Be a man!! Sabe? Nos empolgamos demais e é esse é o nosso chacal! É uma eterna espera por alguma coisa...!

Isso não é só no amor não! Somos passionais em qualquer situação! No trabalho por exemplo, eu tento ser durona quanto a horário, uso de celular, entrega de deveres de casa em dia, mas qualquer desculpinha dita com uma voz melosa, me rende e eu já tô entregando os pontos. Depois fico reclamando que saí muito tarde, que o celular atrapalhou a aula ou que tenho uma pilha de dever pra corrigir.

Que as nossas ações tenham boas reações, porque ser mulher é correr riscos 24h por dia...!

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Brasileirice aguda

Aqui vão alguns motivos pelos quais ser brasileiro é tão bom:

- Se você está na rua se empolgando com uma música no Mp3, o motorista de um carro passa devagar e te ajuda na empolgação estralando os dedos

- Estudar, trabalhar e sair pra farrear sexta, sábado e domingo, não é nenhum sacríficio

- Você abraça, beija e diz EU TE AMO pros seus amigos sem ninguém achar isso estranho

- Temos as melhores praias, porém também as melhores cachoeiras

- Temos o corpo solto para dançar facilmente - principalmente as mulheres

- Falamos alto, rimos da desgraça alheia e choramos em final de copa do mundo

- Passamos pelos piores perrengues como falta de transporte, saúde e segurança pública, mas levamos a vida sempre sorrindo e com a cabeça erguida

- Somos religiosamente pagãos, porém muito fervorosos com a nossa fé e esperança

- Conseguimos nos virar em situações inimagináveis

- Temos, num mesmo território, brancos, negros, índios, gente do olho puxado, gente que usa véu...

- Somos agressivos, porém pacíficos

- Temos ótimo senso de humor

- Só pra não perder o costume, "não desistimos nunca"!

E meu discuro continua... Só aceito que reclamem se vierem com a solução e agirem!

;)