Quote of the day

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Irmãos

Amanhã é aniversário do meu irmão! Hoje eu comprei um presente pra ele e fiquei pensando quando foi que eu comecei a fazer isso!

Sim, por que antes meu irmão era mais parecido com um adversário. "Dormindo com o inimigo" seria o nome do nosso filme. Eu lembro até hoje de uma das nossas brigas mais marcantes: eu tinha 11 anos, minha primeira TPM. Ela tinha 10, auge de sua "capetagem". Eu estava vagarosamente passando manteiga num biscoito cream cracker, quando ele passou voando e roubou o biscoito da minha mão. Eis minha reação: peguei a primeira coisa que eu vi na frente - uma faca - e taquei nele. Claro que Deus é bom demais e cuidou para que a faca fosse de mesa e que o pentelho tivesse reflexo suficientemente rápido para abaixar-se. Seu único dano foi ficar com o cabelo sujo de manteiga. Eis o que eu - desde pequena Drama Queen - fiz: peguei a mochila, enchi de roupa e saí de casa. Tá certo que eu não passei das escadas, mas eu disse pra minha mãe que se a gente não parasse de dividir o quarto, eu iria sair de casa (uhum, tá!).

Ele nunca foi do tipo protetor. Muito pelo contrário, namorar amigos dele nunca foi problema, tanto que já o fiz com dois. E ele nunca esteve nem aí! Esses dias ele soltou a frase: "Vai sair com esse decote aí???" E depois de 22 anos sem receber nenhum cuidado de irmão, eu achei bonitinho!

Repeti várias vezes durante a vida a frase: "você é um covarde!! Por que não vai bater em homem??". É, ele me batia. Sem dó! Ok, sou mais velha, mas sou menina, pô! Em troca, eu vivia me defendendo com as unhas e quando os amigos dele insinuavam que eram arranhadas de alguma "mina", ele respondia indignado: "Que nada, po, isso aqui foi minha irmã!!!".

E foi assim a vida inteira. Brigando por every little thing. Até que resolvi ir pra Inglaterra e obrigá-lo a tirar umas férias de 7 meses de mim. Foi aí que vieram os depoimentos no orkut, as declarações de amor e as expectativas por um verdadeiro relacionamento fraternal.

E devo dizer que sentir o abraço desse menino gigante foi uma das melhores coisas que eu senti quando cheguei da minha pequena-grande aventura européia. Sentir que poderíamos finalmente fazer valer a palavra IRMÃOS. Hoje somos mais que isso. Somos amigos, cúmplices, conselheiros, família - que também briga de vez em quando - mas agora conseguimos entender que o tempo todo só era uma coisa: não conseguiríamos viver um sem o outro!

Parabéns para meu caçulinha gigante!

7 comentários:

Kérow disse...

nunca troquei tapas com meu irmao até mesmo pq ele é lso demai spra isso... ia ser injustica mesmo ele sendo mot maior do que eu .

DanyZinha disse...

heheheaauahe
ia msm, vc eh bruta e o bixinho parece uma minhoquinha hahahauauahe
eu e meu irmao nao, a gente sempre trocou! altos fights hehehe

Leonardo Gontijo disse...

kkkkkkkkkkkkkkk
Brigava, mas não batia pra valer nehh!!
asuhuashasuhasuash
Tá bom, às vezes... usahusahuash
Mas enfim, coisas de irmaos!
Obrigado pelas palavras de carinho, pelo presente e por vc ser esta irmã maravilhosa que sei que posso contar sempre!
Bjaoooo
te amo

Bee* disse...

Puxa, que lindo, isso!!!! Eu queria ter irmão(s)! =|

Carol disse...

Dani, que lindo esse post!! Minha relação com meu irmao sempre foi meio assim tb...tivemos uma fase péssima, mas hoje a gente está com uma relação ótima!

Adorei seu blog!

Bjoss!

Babi Freitas disse...

Cara, vc quase matou o Leo! hahaha

mas eu tb sou irmã se for assim: a gnt briga pra cacete, vei! ^^'

beijos e eu continuo tendo sério probs com a minha pirra, talvez eu deva passa uns meses em paris! hahaha


ps: ia ser um desperdício matar o leo com a faca da cozinha! prontofalei!

DanyZinha disse...

Ja falei pra vc parar de se jogar no meu irmao!!
Vou atirar a faca da cozinha é em vc, sua biscateira
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Ixi, a gente ja virou irmao ha mt tempo hehehehe